A TEORIA

O hemisfério dominante em 98% dos humanos é o hemisfério esquerdo, é responsável pelo pensamento logico e competência comunicativa. Enquanto o hemisfério direito, é responsável pelo pensamento simbolico e criatividade, embora pesquisas recentes estejam contradizendo isso, comprovando que existem partes do hemisfério esquerdo destinados a criatividade e vice-versa. Nos canhotos as funções estão invertidas. O hemisfério esquerdo diz-se dominante, pois nele localiza-se 2 áreas especializadas: a Area de Broca (B), o córtex responsável pela motricidade da fala, e a Area de Wernicke (W), o córtex responsável pela compreensão verbal.

O cótex motor é responsável pelo controle e coordenação da motricidade voluntária. Traumas nesta área causam fraqueza muscular ou até mesmo paralisia. O córtex motor do hemisfério esquerdo controla o lado direito do corpo, e o córtex motor do hemisférios direito controla o lado esquerdo do corpo. Cada córtex motor contém um mapa da superfície do corpo: perto da orelha, está a zona que controla os músculos da garganta e da língua, segue-se depois a zona dos dedos, mão e braço; a zona do tronco fica ao alto e as pernas e pés vêm depois, na linha média do hemisfério.

É na parte em frente da área do córtex motor correspondente à boca que reside a Área de Broca, que tem a ver com a linguagem. A área pré-motora fica mais activa do que o resto do cérebro quando se imagina um movimento, sem o executar. Se se executa, a área motora fica também activa. A área pré-motora parece ser a área que em grande medida controla o sequenciamento de acções em ambos os lados do corpo. Traumas nesta área não causam nem paralisia nem problemas na intenção para agir ou planear, mas a velocidade e suavidade dos movimentos automáticos (ex. fala e gestos)fica perturbada. A prática de piano, ténis ou golfe envolve o «afinar» da zona pré-motora – sobretudo a esquerda, especializada largamente em atividades sequenciais tipo série.

A Área de Wernicke, que desempenha um papel muito importante na produção de discurso. É esta área que nos permite compreender o que os outros dizem e que nos faculta a possibilidade de organizarmos as palavras sintacticamente correctas.

O córtex cerebral é um tecido fino composto essencialmente por uma rede de neurônios densamente interligados tal que nenhum neurônio está a mais do que algumas sinapses de distância de qualquer outro neurônio

*Linguagem é qualquer e todo sistema de signo que serve de meio de comunicaçao de ideias ou sentimentos através de signos convencionados, sonoros, gráficos, gestuais etc., podendo ser percebida pelos diversosorgaos do sentido , o que leva a distinguirem-se várias espécies de linguagem:visual,auditiva,tatil etc., ou, ainda, outras mais complexas, constituídas, ao mesmo tempo, de elementos diversos.

A Lateralização

Em 1836 o médico francês Marc Dax sugeriu pela primeira vez que o cérebro humano possuía dois hemisférios com funções distintas {4}. Esse fato não despertou interesses da área científica por vários anos, quando foi confirmado por outro francês, o cientista Pierre Broca, ao descobriu que o centro motor de comando da linguagem falada encontra-se no hemisfério esquerdo (hoje denominado área de Broca). Posteriormente descobriu-se que a percepção da fala e estruturas geométricas, escrita, criatividade, e diversas outras funções também são lateralizadas.

A afasia é uma deterioração da função da linguagem .Caracteriza-se por dificuldade em nomear pessoas e objetos.

As afasias são estudadas tanto pela neuropsicologia quanto pela linguistica e a terapêutica é matéria interdisciplinar. Segundo a neuropsicologia, distinguem-se dois grandes grupos de afasias, cada uma das suas variedades referindo-se a lesões cerebrais de localização precisa: o grupo das afasias de expressão e o grupo das afasias sensoriais ou de recepção. As afasias de expressão compreendem essencialmente:

1) a afasia motora, descoberta por Broca (1861), que se caracteriza por uma perturbação da expressão oral e escrita e por um dano de compreensão que, contudo, melhora rapidamente:

2) a afasia de condução, cujo sintoma principal é um déficit da programação que se exprime com prejuizo da repetição, da escrita quando ditada e da leitura em voz alta. As afasias sensoriais se caracterizam por uma perturbação do entendimento, pela alteração da palavra espontânea, muitas vezes incompreensivel pela presença de jargonofasia. Segundo o linguista Romam Jakobson, os distúrbios da fala podem afetar em graus diversos a capacidade de combinar e selecionar as unidades linguisticas.

A psicolingüística é o ramo da lingüística, que tem como um dos seus objetos de estudo o processo de aquisição e desenvolvimento da linguagem.

A psicolingüística analisa qualquer processo que diz respeito à comunicação humana, mediante o uso da linguagem (seja ela de forma oral, escrita, gestual etc.). Essa ciência também estuda os fatores que afetam a decodificação, ou seja, as estruturas psicológicas que nos capacitam a entender expressões, palavras, orações, textos.

A comunicação humana pode ser considerada uma contínua percepção-compreensão-produção. A riqueza da linguagem faz com que esse contínuo se processe de várias maneiras. Assim, dependendo da modalidade, visual ou auditiva do estímulo externo, as etapas sensoriais em percepção serão diferentes. Também existe variabilidade na produção da linguagem; podemos falar, gesticular ou escrever.

Outras áreas da psicolingüística são centradas em temas como a origem da linguagem no ser humano. Algumas analisam o processo de aquisição da língua materna e também a aquisição de uma língua estrangeira. SegundoNoam Chomsky, teórico de destaque na escola inatista, os humanos têm uma Gramática Universal inata(conceito abstrato que abrange todas as línguas humanas). Já os funcionalistas, que se opõem a essa corrente de estudos, afirmam que a aquisição da linguagem somente ocorre através do contato social.

Em suma, a Psicolinguística se interessa pela produção e compreensão da linguagem humana. A ideia é saber o que se passa na cabeça de um falante quando este fala ou ouve, tarefas estas que dizem respeito à comunicação humana.

Referência bibliográfica:

CRITÓFARO SILVA, Thais. Fonetica e Fonologia do Portugues.

%d blogueiros gostam disto: